[DrCapirotoExplica] São as estatísticas confiáveis?

Saudações leitores(as)!

O DrCapiroto fala hoje sobre estatística, mas especificamente sobre o uso que é feito dela. Estatística é aquela ciência que estuda as probabilidades mas também são aqueles estudos que são apresentados com gráficos bonitos e coloridos que predizem, por exemplo, que 100% das pessoas que bebem água potável, morrem. Todos sabemos que as estatísticas não mentem! Concordam? Bem, o DrCapiroto parece não concordar muito com estas afirmações… Vejamos o porquê na transcrição da minha entrevista com ele.


Ronaldo: Saudações DrCapiroto! Descansou bastante nesses dias? Tem sonhado bem?
DrCapiroto: Em outras palavras, você assume que tenho nada para fazer e também que dou valor a sonhos; lamento, não procede. Sou ocupado e ilusão é apenas um aprisionamento conveniente e confortável que as pessoas passam a vida toda procurando e alimentando, por liberdade, deve-se buscar um caminho diferente.
Ronaldo: Eita! Mas é que dizem por aí que toda pessoa precisa de sonhos.
DrCapiroto: Olha Ronaldo, deixa eu lhe contar uma história, quando sinto falta de sonhos, vou até a padaria, compro quantos acreditar conseguir consumir e após a digestão, def*** realidade, não é bonita, nem é cheirosa, mas é tudo aquilo que precisa-se encarar naquele momento.
Ronaldo: É… Bem… Chamei o senhor desta vez para conversarmos sobre o uso da estatística pela mídia.
DrCapiroto: Quais são suas dúvidas?
Ronaldo: Estatística tem sido ao longo da história uma ferramenta muito usada e primeira pergunta é: são as estatísticas algo confiável?
DrCapiroto: Deveriam?
Ronaldo: Essas suas respostas sempre me “quebram”… Bom, o senso comum acredita que é confiável, então podemos assumir como sim, as estatísticas deveriam ser confiáveis. O senhor concorda com esta visão?
DrCapiroto: O senso comum, que você jamais deve cometer o engano de confundir com bom senso, possui mecanismos próprios para lidar com assuntos deste tipo: o que é verdade dentro dele, pode não ser fora dele, além de que a mesma “verdade” pode possuir múltiplas interpretações dentro do senso comum. Com a ferramenta chamada estatística ocorre o mesmo fenômeno. Quando você força o contexto classificatório: “é confiável” versus “não é confiável”, automaticamente deve-se subentender: “confiável a quem?” ou “útil a quem?”, e isto remete a outro porém, de que mesmo dentro do senso comum, possuímos múltiplos segmentos, funções, condicionamentos mentais etc, uma vez que o senso comum é composto de uma harmonia caótica de desigualdades, sendo assim, uma mesma estatística pode ser confiável para alguns e amaldiçoada para outros. Estatísticas são coisas encomendadas para atender a um determinado propósito e isto por si só já é um viés fortíssimo, pois uma empresa do ramo, caso não seja capaz de entregar o que os clientes pedem, são naturalmente incapazes de manter-se no mercado por pura incompetência, além disto, tanto a estatística em si pode ser manipulada quanto a forma de sua divulgação e/ou interpretação. As estatísticas veiculadas na mídia são fruto de investimentos pesados e tem por obrigação atender aos interesses de quem pagou por elas, não vejo inconveniente nisto.
Ronaldo: Entendi, o senhor nem concorda nem discorda da confiabilidade das estatísticas; o senhor sequer reconhece essa obrigação ética nelas.
DrCapiroto: Correto.
Ronaldo: Mas porque o senso comum não é capaz de perceber estas manipulações dos estudos e/ou da forma como são veiculados?
DrCapiroto: Ronaldo, lembra do que você me disse uma vez sobre “usuários-padrão” na sua área de atuação? Você me disse que para um “usuário-padrão” existe nada que não se possa clicar. Com o senso comum não é diferente, ele escolheu isto e amargará suas decisões eternamente. O senso comum, sendo uma entidade físico-psíquica, responde a estímulos e os compartilha uniformemente, as diferentes reações se dão pelas desigualdades e ocorrem para manter o equilíbrio, como resultado temos uma realidade caótica. Do ponto de vista individual, é natural do ser humano ser parcial na interpretação dos fatos, deixando-se levar por emoções, desejos e condicionamento mental, é nesse mar de incertezas que cada um avalia e toma suas decisões e a análise de uma estatística também passa por esse caótico processo. O maior trabalho das políticas de manipulação engendrada pelos três poderes tem sido uniformizar o senso comum numa massa de segmentos homogêneos.
Ronaldo: Em outras palavras, existem múltiplos interesses no tocante à divulgação das estatísticas e também existem múltiplos interesses individuais nas interpretações delas. Seria mais ou menos isto?
DrCapiroto: Sim, seria isto.
Ronaldo: O assunto ficou bastante denso e até a simplificação complicou “meu lado”… DrCapiroto, o senhor mencionou “condicionamento mental” e “três poderes”, poderia dar mais alguns exemplos destes itens?
DrCapiroto: Por condicionamento mental, refiro-me desde dogmas e crenças até manias, em outras palavras, toda a programação mental, tudo aquilo que fica na parte reptiliana do cérebro humano. Por três poderes, entenda-se: governo, religião e mídia.
Ronaldo: Assuntos interessantes! Gostaria de agradecer mais esta entrevista e já devo ir me preparando para montar as próximas!
DrCapiroto: Se não fosse por invocação, acredita mesmo que eu estaria aqui todas as vezes que planeja entrevistar-me?
Ronaldo: É… Até a próxima DrCapiroto!
DrCapiroto: Até.


Entrevista suave, espero que as próximas sejam assim também. Até o próximo “DrCapirotoExplica”!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s